RESUMO DO CONTO: O Fogo e as Cinzas

RESUMO DO CONTO: O Fogo e as Cinzas DE MANUEL DA FONSECA

O Sr. Portela passa todos os dias da sua vida a pensar no seu passado. Tem muitos acontecimentos que lhe vem á memória com uma intensidade monstruosa. Sem ter necessidade de fazer um grande esforço, os acontecimentos surgem na sua mente como se as pessoas estivessem presentes.

Antoninha Das Dores é a sua maior mágoa. Vive numa amargura diária ao lembrar-se que tinha sido um fogo que lhe arrebatou o seu grande amor. Ainda maior é a sua dor porque a sua amada não morreu nesse fogo, mas sim tinha sido um bombeiro que ao socorrê-la a trouxe para a rua só em camisa de dormir. Esse facto foi determinante. O SR. Portela ainda hoje não consegue viver com o facto de a sua noiva ter sido vista nua por toda a vila.

Passados trinta anos ainda chora o facto de ter sido um acontecimento tão diminuto que lhe arruinou a vida. Antoninha Das Dores vem nos braços de Chico Biló, é esta a imagem que lhe vem mais vezes á memoria.

Passa os dias a correr para o café como tivesse Mestre Poupas bombeiro e André Juliano á espera, mas estes já não estão com ele por motivos diferentes. Mestre Poupas bombeiro já faleceu e André Juliano está preso. Este ultimo era seu grande amigo de infância e colega de escola que deixaram ambos muito cedo. Mestre Poupas bombeiro, conheceu-o quando este veio de Lisboa para trabalhar na vila. Nessa altura andava a vila com problemas com os fogos porque os maiores prejuízos eram os bombeiros improvisados que os provocavam.

Encontravam-se todas as tardes estes três amigos para conversarem. O motivo destas conversas não podia deixar de ser o fogo. Mestre Poupas bombeiro contava-lhes com pormenores como tinha ganho todas aquelas medalhas e condecorações a apagar fogos e o Sr. Portela ouvia com muita atenção. Já André Juliano vivia na angústia do seu pai ser um homem rico e dar-lhe apenas uns míseros vinte e cinco tostões. Foi por causa disto que o Sr. Portela perdeu os seus amigos.

André Juliano deixou de dar pouca atenção aos amigos quando estes falavam de fogo para passar a ser o seu tema preferido, mesmo não admitindo. Ausentou-se durante dois dias e os seus dois amigos ficaram surpreendidos por tal facto, mas lá foi dizendo que teve uns assuntos a tratar.

Passadas umas noites gritou-se” fogo” e Sr. Portela não podia deixar de correr para o local e ao chegar ao local primeiro que todos, verificou que as chamas vinham de casa de André Juliano.

O fogo, esse já se encontrava em estado avançado e ao procurar entre os bombeiros lá encontrou Mestre Poupas de rosto transtornado a apitar sem energia e a dar ordens gaguejadas. Passou a rua para o outro lado e viu Chico Biló que também era da opinião que Mestre Poupas estava com medo do fogo e que se fosse no tempo dele já estaria tudo apagado. Lá veio à memória mais uma vez a imagem de Antoninha das Dores. De repente olhou e viu André Juliano e disse-lhe que havia incêndios que desgraçam um homem para sempre, mas há outros que salvam.

Quando se aperceberam que estaria dentro de casa o pai do seu amigo de infância começaram a gritar por ele. O Sr. Portela pediu ao seu amigo Mestre Poupas que lá fosse dentro salvá-lo. O Mestre ao ouvir tal pedido apercebeu-se que tinha a ver com os actos heróicos que lhe tinha contado. E não querendo dar parte de fraco entrou dentro da casa a arder.

Momentos depois saíam três bombeiros de dentro de casa transportando uma cama de ferro com o corpo calcinado do pai de André Juliano com os pulsos e pernas amarradas á cama.

E quando o Sr. Portela já se preparava para se ir embora, outros dois bombeiros traziam o corpo sem vida de Mestre Poupas com bocados de corda que faltavam na cama ardida.

Hoje já não tem coragem de voltar a ver incêndios, por mais vontade que tenha, mas isso pouca importância tem. Qualquer das maneiras consegue rever a sua desgraça, em casa ou no café senta-se puxa do seu cigarro e Antoninha Das Dores vem. Vem novamente de camisa branca de dormir.

 E é assim que ela fica, horas a fio diante dos seus olhos rasos de água.

Nos últimos tempos quem trás a sua amada nos braços já não é Chico Biló. É Mestre Poupas bombeiro e ao seu lado vem André Juliano.

E assim passa os dias a pensar na sua amada e nos amigos que perdeu num incêndio.

 Nuno Soares

About these ads

Deixar uma resposta

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

WordPress.com Logo

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Log Out / Modificar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Log Out / Modificar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Log Out / Modificar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Log Out / Modificar )

Connecting to %s

Seguir

Get every new post delivered to your Inbox.

%d bloggers like this: